Meu cachorro late no passeio, e agora?

Motivos e como resolver:


• Frequência: aumente a frequência que esses passeios acontecem, pois passear apenas ao finais de semana ou dia sim dia não, não gera rotina, o que acaba gerando ansiedade e como consequência, os latidos.


• Período: dê preferência para fazer os passeios pela manhã, bem cedinho, assim os encontros com outros cães e outras pessoas, barulhos, poderão ser feitos de maneira controlada e o seu arteiro não vai precisar latir para se aproximar ou se afastar desses estímulos.


Que tal um atalho para avançar na socialização do seu arteiro? Clique e saiba mais!


• Lugar: gradativamente explore novos lugares com o seu arteiro. Não quebre as etapas, pois se o seu arteiro está acostumado a passear apenas em ruas tranquilas, mudar drasticamente para uma avenida movimentada fará com que ele comece a latir para demonstrar medo diante a tantos estímulos diferentes.


• guia curta: deixa o passeio tenso e com isso, seu arteiro sente que tem algo errado acontecendo e sente a necessidade de latir para se defender.


• enforcador ou coleira: machuca, deixa o seu arteiro sem ar, agressivo e uma das consequências é o latido, que pode ser pelo incômodo ou reforço, exemplo:


Um cachorro está do outro lado da rua e para se aproximar, seu arteiro puxa. Por estar com o enforcador ou coleira, leva um tranco no pescoço. Na próxima vez, para não levar um tranco no pescoço, seu arteiro começa a latir assim que sente a presença de outro cachorro.


• acessórios adequados:

peitoral antipuxão, pois seu engate na frente não reforça a ansiedade e faz com que seu arteiro caminhe ao seu lado.


guia de 2 metros, pois dará a sessão de liberdade para o seu arteiro e com isso, um passeio mais relaxante.

Mais Lidas
Postagens Recentes
Arquivo
Pesquisar por tags