Campinas terá 'Samu' para animais acidentados


Campinas terá uma ambulância disponível para o transporte de emergência de cachorros e gatos.

O objetivo é equipar a cidade com um veículo semelhante ao do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), para que os animais possam ser resgatados corretamente, não sofrendo traumas adicionais.

Transforme sua paixão em um sucesso: Seja um Passeador de Cães - Dog Walker!

A estimativa é de que a 'ambulância pet' esteja funcionando em 30 dias.

Ela ficará estacionada no pátio do Departamento de Proteção e Bem-Estar Animal (DPBea), à disposição da Prefeitura 24 horas por dia. O serviço será prestado pela empresa Ricardo de Almeida Souza, de Mairinque, que venceu a licitação e custará R$ 360 mil por ano aos cofres municipais.

“Só de atropelamentos graves o DPBea recebe cerca de três pedidos de resgate por semana. E se o resgate não for feito de forma adequada, há um trauma adicional e uma possível sequela permanente”, informa o médico-veterinário Paulo Anselmo Nunes Fellipe, diretor do departamento.

A ambulância terá dois socorristas, maca para remoção, oxigênio e os demais dispositivos para o pronto atendimento. O veículo fará os resgates a mando do departamento. Pedidos de ajuda podem ser feitos pela população ao DPBea (3245-1781), assim como à Defesa Civil (199) e à Polícia Militar (190), que têm um canal de plantão com o órgão e podem acioná-lo 24 horas por dia.

A médica-veterinária Gislaine Nonino Rosa, pós-graduada em Terapia Intensiva e Emergência Veterinária, proprietária da clínica Nova Vet, em Campinas, informa que diante de um trauma cada segundo vale uma vida. “Não existe tempo ideal para o resgate e atendimento, pois ele deve ocorrer o mais rápido possível, para que as chances de sobrevida sem sequelas sejam maiores”, disse.

Castração A partir da semana que vem, os animais castrados no castramóvel receberão vacinas contra as principais doenças que acometem os pets, entre as quais, cinomose, hepatite, leptospirose e parvovirose.

A cinomose, por exemplo, mata cerca de 80% dos infectados, e deixa a maior parte dos 20% sobreviventes com sequelas neurológicas irreversíveis. Além da pouca chance de sobrevivência, gera um sofrimento terrível, e, por isso, é o pesadelo dos protetores de animais, que a consideram uma das doenças mais tristes que existe. Causa convulsão, falta de coordenação motora, tremores generalizados, espasmos musculares (tiques nervosos), vômitos, diarreia, paralisia das patas, pneumonia, úlcera nos olhos, entre outros sintomas.

A próxima parada do ônibus-cirúrgico será na semana que vem em frente ao DPBea, no Jardim Boa Vista. Castrará 300 pets que foram resgatados por ONGs. Uma vez por mês, o departamento disponibiliza uma rodada de castrações para as entidades protetoras.

Todas os procedimentos realizados no veículo são previamente agendados. Os interessados devem se cadastrar pelo telefone 156 da Prefeitura. Este ano já foram castrados 7 mil animais. E, para o ano que vem, a expectativa é castrar 9 mil. “Queremos que todas as áreas da cidade sejam beneficiadas”, diz Paulo Anselmo.

As cirurgias são terceirizadas e feitas pela empresa Ricardo de Almeida Souza, quem já prestava o serviço e venceu o novo certame relativo às cirurgias de 2017. O pacote para os 12 meses custará R$ 1.161.000,00, o equivalente a R$ 149,00 por castração.

Fonte: Correio Popular


0 visualização

© Cão Passeador. Todos os direitos reservados. | CNPJ 21.792.962/0001-09